Especial RER

ROXANE REGLY

Frio chega e comerciantes mudam as vitrines
Inverno começa com apostas em peças alternativas

Roxane Regly*

O inverno chegou na última sexta-feira, dia 20, e as temperaturas, começam a apresentar queda. Porém, o Brasil como um país tropical, não apresenta temperaturas muito baixas e Limeira, localizada geograficamente em uma posição privilegiada, tem apresentado temperaturas que variam durante o dia, o que traz ao comércio, tendências diferentes e vendas variadas.
Os grandes centros comerciais da capital paulista, especializados em roupas, sentiram a alta dos preços de vestuário, que chegou a 1,55% em maio na apuração do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que desacelerou para 0,77% na segunda prévia deste mês na cidade de São Paulo.
Os comerciantes limeirenses, visando não repassar estas altas aos seus clientes, têm procurado lojas que não foram afetadas por estas elevações, além de produtos diversos, que possibilitam manter o preço ao seu consumidor final e trazer diversidade às suas lojas.
ROXANE REGLYConsumidores procuram por peças variadas e intercalam as mais leves com os casacos, visando não sentir a alta nos preços

Para o presidente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest), Roberto Chaddad, o aumento nos preços das roupas está relacionada aos tecidos mais elaborados e encorpados, e dos itens sintéticos (normalmente feitos com derivados de petróleo) utilizados nesta época, pois os custos de produção são mais altos.

ROXANE REGLYPreço pode estar relacionado a tecidos mais elaborados e aos itens sintéticos utilizados nesta época, pois os custos de produção aumentam

Márcia Monteiro, proprietária da Márcia Presentes, comenta que o grande dilema é a temperatura que começou baixar só agora. “Não existem mais invernos tão rigorosos na cidade e os consumidores preferem outros tipos de produtos Assim, os preços altos das roupas mais pesadas nos afetam menos”, afirma.
Angelo Fernandes, proprietário da Biri Confecções, considera também que não está havendo repasse do aumento aos limeirenses. “Não temos notado tanto esta diferença, até por que as temperaturas são amenas e permite ao cliente optar por roupas alternativas”
A estagiária em Direito, Isabela Garcia, acredita que os preços no comércio local estão acessíveis. “Não compensa sair da cidade em busca de outros grandes centros, pois os preços estão até mesmo acima dos que encontro aqui”, afirma.
Com um inverno mais ameno, a grande proposta de moda são as sobreposições.
Blusas de manguinha curta por cima e embaixo as mangas longas. “É um estilo mais leve, para um inverno, que no Brasil também é fraco”, disse Márcia Monteiro.
“Além disso, com as sobreposições, as pessoas ainda ficam com duas peças de roupas. Se esquentou um pouquinho, tira a manga longa e fica apenas com a manguinha curta, ou vice –versa”, comenta ela.
A forte tendência na sobreposição é usar a parte de cima mais larga com a parte de baixo mais justa. Segundo informações do site do Clima Tempo, as temperaturas tendem a baixar, com máximas de 22°C e mínimas de 13°C, provando assim que o inverno está chegando, o que provavelmente aquecerá as vendas.


* Matéria publicada no Jornal Visão Empresarial de 26 de junho a 02 de julho de 2008. Colaboração de Ana Lídia Rizzo :D

Comentários

Postagens mais visitadas