Realidade

Estamos todas deitadas. Ainda não é 23h... mas elas gostam de correr logo cedo, coisa que (ainda, ou talvez nunca vai) não faz parte da minha rotina.
Lídia se revirou algumas vezes e ajeitou coisas em seu criado-mudo. Mexeu no celular e levantou o corpo para comentar, surpresa, num misto de tristeza e ansiedade, que ela só tem mais duas semanas e três dias aqui.
É quase nada, ela exclamou. É, é quase nada, pensei, percebendo o quanto os dias passam rápido por aqui (já se foram 50!), mas ao mesmo tempo lembrando a dor que às vezes a distância me proporciona e me faz ter vontade de ir embora, ainda que eu esteja realizando um sonho. Que sonho estranho, rs. Depois que ela for, ainda tenho mais sete meses aqui.
Em pouco mais de 15 dias Lídia vai embora. Minha irmã polonesa, companheira de quarto, madura, responsável e segura, que me acompanha desde os primeiros momentos na Inglaterra, já que pousamos com algumas horas de diferença no Heathrow e viemos juntas na mesma "carona" para cá.
Lídia chorou discretamente. Em seguida se consolou ao pensar na semana que passará em Londres, mais dois dias em Paris e então voltará à Polônia - lar doce lar.
Pela primeira vez senti tristeza ao pensar na vida "sem Ashburnham". Ela indo já me deixa um vazio, imagino eu indo e deixando tudo pra sempre. Mais uma vez é estranho! Essa confusão de sentimentos que nos permeia nesse "conto de fadas" chamado Ashburnham Place.

Em respeito aos colegas que não falam português, segue abaixo uma tradução do texto acima, que não posso garantir se está 100%, porque não revisei rsrs ;)

Reality

We are all in our beds. It's not 23h yet... but they like to run earlier, what isn't part of my routine (yet, or maybe never will be).

Lídia moved some times and set up things in her night table. Looked to the cellphone and raised up the body to comment, surprised, in a mixed feeling of sadness and anxious, that she have just more two weeks and three days here.

It's almost nothing, she exclaimed. Yeah, it's almost nothing, I thought, realizing how much the days go fast here (already 50!), but at the same time I was remembering the pain that sometimes the distance makes me feel and makes me wish to leave, even I am doing a dream. Weird dream, rs. After she goes, I already have seven months here.

In just over 15 days Lídia goes away. My poland sister, roommate, mature, responsible and secure, that is with me since the first moments in England, since our airplanes landed with some hours in difference on Heathrow Airport and we came together to here.

Lídia discretely cried. Follow, comforted herself thinking in the week that will expend in London plus two days on Paris, and so, will go back to Poland - home sweet home.

For the first time I fell sadness to think about the life "without Ashburnham". She going leave me an empty, I can imagine I'm going and leaving everything back. One more time it is weird! This confused feelings that permeates ourselves in this "fairytale" called Ashburnham Place.

Comentários

Postagens mais visitadas