o que é um presente perfeito



Essa semana a Aline Bicudo postou um texto no jornalistas.blog.br, falando da "maldita inclusão digital". Concordei com ela em todos os aspectos e senti que o texto só vinha para reforçar aquilo que eu já achava. A Internet tem sim que chegar a todos, mas é preciso consciência daquilo que será colocado na web. Eu sempre digo isso, que precisamos aprender a gerar menos lixo virtual e mais conteúdo decente.

Hoje, de bobeira resolvi fazer uma pesquisa besta o Google. Com a aproximação do Natal, surgiu a preocupação: o que presentear, no caso ao meu namorado, o membro da família mais recém chegado e que, portanto, ainda não tenho a perfeita noção do que agradá-lo. Tá, basta dar uma volta pelas lojas que tenho a minha disposição, de acordo com a minha possibilidade e isso se resolve. Nada melhor que ir a campo e descobrir uma infinidade de coisas legais, mas eu apenas me dei ao luxo de me render à tentação chamada Internet e prolongar os minutinhos por aqui com uma busca boba.

Pois não é que fiquei inconformada com o exagero de links que achei. Animadamente percorri umas cerca de cinco páginas até me desanimar de vez (e não é que eu sou persistente!). Quase todos os links tinham postagens iguais ou relacionadas, algumas fúteis, tanto quanto outras inúteis. Por fim, o que mais me absurdou foi o conteúdo da maioria das postagens.

"Se o seu namorado faz o tipo moderinho você pode dar celulares de última geração, uma TV de plasma ou um notebook novinho..."

Ou ainda uma lista "Top 10" de presentes...

•Aparelhos celulares cheios de recursos.
•Um Ipod.
•Uma roupa daquela grife famosa que ele idolatra.
•Um GPS para o carro dele.
•Um gravador de DVD’s.
•Um computador novo ou um laptop.
•Um CD com músicas escolhidas especialmente por você.
•Uma caixa daquela cerveja importada que ele sempre quis beber.
•Uma viagem romântica.
•Uma Câmera digital com uma alta resolução e cheia de recursos.

Genteee, em que mundo esse povo vive??? Alguém já viu ou já imaginou uma doida chegando com uma caixa gigantesca com uma plasma de 50 polegadas dentro? Ou ainda, como eu, que estou na parcela 3 de 10 de um celular com funções quaisquers, parcelado no cartão da minha mãe (mesmo que este tenha custado pouco mais da metade do meu humilde salário de estagiária), compraria de presente um celular modernérrimo, que no mínimo custaria R$1.000 (coisa que eu levaria bons meses para reunir se não gastasse nem um tostão do meu salário)? E um laptop? Aqueeele que minha mãe há meses deseja, que com certeza se eu pudesse já teria dado a ela? Uma viagem romântica... bom, sem comentários.

Eu, particularmente, sou extremamente regrada em questões de grana e afins. Controlada, econômica e que jamais fez qualquer loucura de se meter em dívidas, eu olho absurdada essas dicas, mas, fico a pensar essas garotas loucamente apaixonadas e sem juízo no que não se metem em busca de agradar o namorado. Claro, que se dependesse da minha vontade eu daria um notebook de primeira geração e ainda mandava instalar um GPS ou até mesmo o cobriria de camisetas e bermudas de marcas chiquérrimas, mas tudo isso está fora de minhas possibilidades.

É importante lembrar que agradar vai além de presentes absurdamente caros e cheios de status, vai de entender o que a pessoa que se ama gosta e usa. Mostrar o quanto você se atenta a detalhes e percebe gostos e costumes. Mais do que tudo isso vai de colocar em seja lá o que for que você fizer, seu carinho, amor e dedicação!

Comentários

Postagens mais visitadas