Grupo vencedor de Festival Nacional procura apoio em leis de incentivo à cultura


Atores limeirenses realizaram sonho com
premiação, mas ainda não têm auxílio do governo


Lilian Geraldini
Mariana Antonella
Roxane Regly



O grupo Núcleo Companhia de Teatro ensaia arduamente há cinco anos. Nesse tempo de estrada os integrantes ganharam alguns prêmios, mas nada comparado à premiação deste ano. Em outubro, os atores conquistaram o primeiro lugar no 5º Festival Nacional de Teatro de Limeira, com o espetáculo “Púrpura”.

No entanto, mesmo com o prêmio, o grupo busca auxílio financeiro para ampliar suas atividades, o que ainda não conseguiu. O diretor do espetáculo, Jonatas Noguel, conta que o grupo já possui o número de cadastro para recolhimento de benefícios com o governo, mas até hoje não conseguiu auxílio de nenhuma empresa. “Em Limeira, por exemplo, é muito difícil conseguir esse vínculo. A cabeça dos empresários é muito crua com relação a esses assuntos, eles preferem pagar para o governo”, diz.

O “Núcleo Companhia de Teatro” buscou amparo de leis de incentivo à cultura, como a Lei Rouanet, criada em 1991, que concede abatimento de parte do Imposto de Renda de pessoas jurídicas, para que patrocinem projetos culturais. Em Limeira, até agora nenhum grupo de teatro teve seu projeto aprovado.



O secretário municipal da Cultura de Limeira, Adalberto Mansur, comenta que projetos de outras áreas culturais, como música, conseguiram o benefício. “É preciso que os grupos estejam organizados para que recebam o apoio por meio das leis de incentivo”, fala.

Recentemente, uma grande empresa sediada na cidade procurou o secretário para oferecer apoio à secretaria por meio da Lei Rouanet. “Porém, a secretaria não pode aceitar esses recursos, assim, procurei incessantemente um projeto que pudesse indicar à empresa”, contou.

Em 2009, de acordo com dados obtidos no site do Ministério da Cultura, em Limeira, apenas três grupos obtiveram auxílio por meio da Lei Rouanet. São os projetos Musicando, Escola Livre de Música de Limeira e “E os Italianos chegaram”, edição de um livro bilíngue sobre a imigração dos europeus. O benefício gira em torno de R$ 175 mi. Já em 2008, foram 65 projetos aprovados, totalizando mais de R$ 2 milhões de repasse.


O espetáculo
A peça “Púrpura”, baseada no livro “A cor púrpura”, de Alice Walker, concorreu com diversas companhias, compostas por atores experientes e que apresentaram espetáculos renomados na cidade. “Púrpura” possui uma alma feminina muito forte e tem como tema principal a luta pelo direito da mulher negra. A premiação foi histórica, já que é a primeira vez no festival, que um grupo da cidade o primeiro lugar na categoria adulto.



Noguel conta que o grupo ficou surpreso com o resultado. “Ficamos atônitos. Esse prêmio é a prova de que estamos no caminho certo e temos nosso trabalho reconhecido”, fala. E se conseguissem o recurso das leis de incentivo, Noguel conta que todo investimento seria na difusão do teatro. “Se fossemos patrocinados por uma empresa, investiríamos em um 'espaço alternativo', sem fins lucrativos, para a realização de cursos de teatro, espetáculos, projetos culturais e investir principalmente no trabalho infantil", relata
Composto por Matheus Gonçalves, Karem Karoline, Jéssica Sousa e Lucas Sequinato, o grupo levou um ano preparando o espetáculo. Noguel comenta que foi um longo trabalho de pesquisas e montagem da peça. “Nos três últimos meses que antecederam o festival ensaiávamos três vezes por semana, doze horas por dia”, revela.

Quem acompanhou a história do grupo desde o início foi o vereador limeirense Farid Zaine (PDT). Idealizador da mostra municipal e do festival, Farid acredita que, em cinco anos, os frutos já se fazem notar. “Esses atores começaram em função do festival, sofreram influências ao longo dos anos e isso foi um grande aprendizado para eles”, fala. Segundo Farid, o festival foi criado com o objetivo de trazer mais cultura e lazer para a cidade. “Quis proporcionar aos limeirenses a chance de ter acesso ao que se faz de teatro no Brasil”, comenta.

A 5ª edição do festival recebeu 130 inscrições de espetáculos renomados de todo país. Em 2005, apenas três grupos de Limeira se inscreveram, neste ano, foram nove. Para o secretário de cultura, é de extrema importância a cidade sediar um festival deste porte. “Vieram espetáculos de grande repercussão, com artistas de renome no meio teatral. É cultura de grande qualidade a preço baixo para a população”, destaca Mansur.

Atualmente a Secretaria da Cultura de Limeira não possui um número de quantos grupos de teatro existem na cidade. De acordo com o secretário, um dos projetos é realizar um cadastro nos próximos meses das várias áreas de manifestação cultural da cidade.

Questionado se a Prefeitura disponibiliza parte de sua verba para a cultura ou projetos da cidade, Mansur conta que para este ano a previsão orçamentária é de R$ 4 milhões. “Mas esse número apresentará queda de 20%. Grande parte é consumida em mão de obra”, diz.



Fotos: Divulgação/Núcleo Companhia de Teatro

Comentários

  1. Uma pergunta: de quando são as imagens? Quem é o fotógrafo? Uma de vocês?

    ResponderExcluir
  2. As fotos são de divulgação fornecidas pelo próprio grupo.

    ResponderExcluir
  3. Boa Tarde,eu sou um dos integrantes do Núcleo Cia. de Teatro, somos de Limeira e brevemente iremos inauguram o Espaço Núcleo.....mais informaçoes pelo e-mail lucasantborges@yahoo.com.br ou 19 9262 5303 - falar com Matheus!Desde já agradeceços pela postagem!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas